Você sabe como evitar hábitos como o bruxismo? Aprenda aqui!

Um dos fatores que mais afetam nossa imagem é o sorriso. Além da questão da saúde, quando a estética está prejudicada, naturalmente sentimos maior desconforto ao sorrir ou conversar com outras pessoas.

De fato, o poder do sorriso impacta diretamente na nossa autoestima, nas relações pessoais e até mesmo na nossa confiança no ambiente de trabalho. E, além dos dentes desalinhados ou amarelados, problemas como o bruxismo podem trazer prejuízos para a saúde.

Se você tem essa preocupação, leia o post a seguir e entenda melhor porque ele ocorre, além de conhecer algumas maneiras de evitá-lo.

O que são hábitos parafuncionais

Esse tipo de hábito está relacionado aos movimentos inconscientes das pessoas, ou seja, que não fazem parte de uma função específica do corpo, como mastigar ou falar. Assim, ocorrem involuntariamente e podem causar sérios problemas se não forem tratados.

Normalmente, esses hábitos decorrem de situações emocionais, como estresse e ansiedade. O paciente adquire esses costumes como forma de liberar a tensão acumulada, mas nem sempre percebe o que está ocorrendo.

Entre os exemplos mais conhecidos, estão:

  • bruxismo (ranger dos dentes noturno);
  • briquismo (ranger dos dentes diurno);
  • mascar chicletes constantemente;
  • morder ou chupar o dedo;
  • apertar objetos;
  • roer unhas e cutículas.

Como eles afetam o sorriso

Apesar de cada pessoa apresentar um tipo de hábito parafuncional distinto, existem alguns bastante comuns e que trazem complicações para a saúde. Eles podem, inclusive, afetar o sorriso do paciente, que fica com os dentes desgastados ou até amolecidos.

Outras consequências são as dores de cabeça, nas articulações faciais, doenças periodontais, aumento da sensibilidade e alterações na arcada dentária. Portanto, dá para perceber que não é um hábito que deve ser mantido, para evitar maiores problemas.

Como tratar problemas como o bruxismo

Antes de tudo, é importante identificar as causas da tensão emocional que está ocasionando o hábito parafuncional em questão. Então, o primeiro passo é buscar o acompanhamento de um profissional especializado, que possa fazer uma avaliação do caso e indicar as melhores soluções.

Em algumas situações, é recomendável promover um trabalho conjunto de psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, dentistas e ortodontistas. Na maioria das vezes, não adianta tratar os danos odontológicos, se a origem do problema não for solucionada.

No caso do bruxismo, por exemplo, há opções como os medicamentos contra a ansiedade, a prática de atividades físicas, o uso de placas estabilizadoras e a aplicação de toxina botulínica. Existem até aplicativos que emitem lembretes durante o dia para a pessoa não esquecer de desencostar os dentes, sem pressioná-los por costume.

Formas de prevenção

A prevenção desse tipo de problema está ligada à adoção de um estilo de vida mais saudável, que reduza as chances de sofrer com os efeitos do acúmulo de ansiedade, tensão, angústia, entre outros.

Se, por acaso, um tipo de hábito parafuncional for comum na família, é aconselhável que os pais acompanhem o comportamento da criança desde cedo. A causa não é necessariamente genética, mas pode haver uma predisposição. Portanto, é melhor ficar atento para evitar que o histórico se repita.

Outra dica é conferir se os medicamentos consumidos podem apresentar efeitos colaterais como o bruxismo. E então, com a ajuda de um profissional, será possível agir antes que ele provoque danos ao sorriso e ao organismo em geral.

Enfim, visitar o dentista com frequência também é uma ótima medida para que qualquer sinal incomum seja diagnosticado precocemente, facilitando o seu tratamento e prevenindo maiores complicações.

E aí, gostou de aprender um pouco mais sobre o bruxismo? Fique atento aos hábitos parafuncionais e não deixe que eles atrapalhem o seu bem-estar! Se ainda restaram dúvidas ou você tem alguma dica a acrescentar, deixe seu comentário!