Conheça como funciona a troca dos dentes do seu filho!

O período de troca de dentes é sempre um momento bastante esperado pelos pais e pelos filhos, já que é uma fase importante de amadurecimento das crianças.

Em geral, a troca dos dentes de leite pelos permanentes vai dos 6 aos 12 anos e precisa ser acompanhada por um odontopediatra para que sejam evitados problemas futuros, como mal posicionamento dos dentes permanentes e problemas na arcada.

Quer saber mais sobre esse assunto? Confira as informações abaixo!

Quando começam a se formar os dentes de leite?

Ao contrário do que muita gente imagina, os dentes de leite começam a ser formados ainda na barriga da mãe, por volta da sexta semana de gestação ― por isso é tão importante que as gestantes façam um pré-natal odontológico.

Porém, é apenas a partir do sétimo mês de vida do bebê que os primeiros dentinhos começarão a aparecer, sendo que o processo estará finalizado por volta do 11º mês.

Mesmo antes dos primeiros dentes surgirem, já é importante manter uma boa higiene bucal, usando uma gaze umedecida com água para a limpeza da gengiva. Após o nascimento dos primeiros dentes, é preciso usar uma escova específica para a idade, com cabeça pequena e cerdas macias e pasta dental com flúor.

Qual a importância dos dentes de leite?

Os dentes de leite são extremamente importantes no desenvolvimento da mastigação, do maxilar e dos músculos da face ― além de funcionarem como “guias” para o nascimento dos permanentes.

Por isso, é indispensável ter uma higiene correta e periódica (evitando-se problemas como a chamada “cárie de mamadeira”, que pode influenciar até mesmo os dentes permanentes), evitar o excesso de açúcar na alimentação e fazer um acompanhamento a cada 6 meses com o dentista, para que possam ser avaliados problemas relativos a arcada, ao posicionamento dos dentes e outras questões.

Os traumas também precisam ser acompanhados de perto, já que os dentes de leite possuem vasos e nervos que fazem a ligação com o ponto exato onde os dentes permanentes estão sendo formados e, por isso, podem influenciar o seu desenvolvimento.

Quais as fases da troca dos dentes?

É possível que haja uma variação durante a troca dos dentes de criança para criança, mas, no geral, esse processo começa aos 6 anos, com a substituição dos incisivos (que são os dentes da frente) seguidos pelos laterais, caninos e molares (que ficam no fundo da boca).

Nesse período, a criança passa por um processo natural de reabsorção das raízes dos dentes de leite, que passam a perder a suas estruturas de sustentação. Por último, o dente de leite passa pela esfoliação, que é a substituição gradativa pelo dente permanente. O dente de leite fica amolecido justamente porque o permanente o está “empurrando”, para nascer.

A única exceção acontece na região posterior, já que os molares permanentes nascem sem que aconteça a perda de nenhum dente de leite. Após todo esse processo, na adolescência ainda haverá o nascimento dos dentes do siso até completar os 32 dentes permanentes que os adultos possuem.

Quais problemas podem ocorrer na troca dos dentes?

É possível que algumas crianças sofram com atrasos na troca dos dentes que podem acontecer por questões genéticas, ambientais e étnicas, além de problemas endócrinos ou nutricionais. Nesses casos, é recomendável a visita ao dentista para que ele possa examinar e avaliar o caso.

Outro problema relativamente comum é o nascimento dos dentes permanentes sem que ocorra a perda dos de leite. Essa questão também precisa ser avaliada por um dentista, pois pode influenciar no posicionamento dos dentes e desenvolvimento da arcada. O motivo mais comum para que isso ocorra é a falta de desenvolvimento da mastigação, pelo consumo frequente de alimentos moles ou pastosos.

Independentemente da troca de dentes ocorrer de forma tranquila ou apresentar problemas, o acompanhamento odontológico é fundamental para a saúde bucal de seu filho.

Gostou de saber sobre a troca de dentes do seu filho? Curta nossa página no Facebook e receba sempre dicas bacanas como essa!